quinta-feira, fevereiro 17, 2005

Sans souci

Poesia, em vez de ranger os dentes
A rede, em vez da manh√£ nervosa
Roub√°-la, em vez de cheirar a rosa
A queda, em vez de olhar para frente

O sol, em vez de medir o Oriente
A chuva, em vez dos abrigos secos
O grito, em vez de escutar os ecos
O ponto, em vez do verso corrente.